Arquivo | Geral RSS for this section

Músicos que ficaram famosos depois de velhos

O mercado musical tem sede de novos artistas. Infelizmente, o duplo sentido volta a dar as caras, pois não basta ter uma carreira nova, mas ser jovem também. Essa é a regra da demanda.

Seja pela boa fase criativa, pela coragem, pelo carisma ou pelo gosto, é fato que os músicos despontam logo na juventude e, se forem bons, aguentam anos no mercado. 30 anos é considerado velho demais para começar uma carreira, mas os artistas deste post mostram que idade não é desculpa para fazer boa arte.

Adoniran Barbosa

Apesar do samba ser inevitavelmente relacionado ao Rio de Janeiro, por ser o berço de grandes artistas, acontece de outros lugares terem grandes expoentes do gênero. São Paulo, por exemplo, foi agraciada com Adoniran Barbosa, um legítimo fazedor de sucessos.

Por trás da figura do homem que dividia carreira de músico, ator e humorista, estão algumas informações pouco conhecidas. Seu nome por exemplo: ele nasceu como João Rubinato, e adotou Adoniran como nome artístico por achar que dá mais a impressão de sambista. Também passa em branco a carreira tardia do paulista, que apesar de cantar e compor para incrementar no papel de humorista, só foi lançar discos na década de 50, aos seus 40 anos, e teve seu auge aos cinquenta!

Admirador e idealista da cidade de SP, o músico popular teve seus últimos dias de vida esquecido, pobre e triste. Não entendia pra quê tanta modernização no mundo.

Susan Boyle

Todos conhecemos sua ascensão meteórica. A senhora insegura e desprovida de qualquer componente dos padrões de beleza impressionou os jurados e a platéia do programa Britain’s Got Talent com sua potente voz. Não tardou para impressionar o mundo com a viralização de sua apresentação, e logo assinou contrato com o selo Sony Music.

Mais tarde, após incansáveis entrevistas e exposição na mídia, sabemos que Boyle teve uma infância dificil e uma vida pacata até seus 49 anos, quando alcançou o sucesso. Cantava apenas por entretenimento e morava só com um gato há algum tempo. Diferente de muitos sucessos momentâneos, a epopeia da cantora britânica não acabou cedo: em 2009 teve o álbum mais vendido do ano e, até 2011, mais de 14 milhões de CDs vendidos.

Cartola

Outro sambista, outro expoente, outro que começou tarde. Como muitos, o carioca Angenor de Oliveira, apelidado de Cartola, demonstrou cedo o gosto pelo samba, mas nunca se dedicou à carreira por dificuldades financeiras. Tinha lá seus amigos músicos, mas o alcance de sua música era regional. Somente aos 66 anos, em 1974, que começou a gravar discos, e o sucesso e reconhecimento foi instantâneo.

Suas composições hoje são consideradas clássicas, e já nasceu assim! Inspirado por Noel Rosa, teve uma carreira curta e com grande impacto. A diferença é que Noel começou cedo e morreu cedo.

Los Del Rio

Antonio Romero e Rafael Ruiz tinham apenas 14 anos quando decidiram fazer um dueto de flamenco, a música tradicional da Espanha, terra dos rapazes, misturado com pop. “Rapazes” no contexto, porque hoje já alcançam a terceira idade. A dupla de cantores sempre levou a carreira com um sucesso regional, e ficava por aí. Só começaram a gravar músicas em estúdio, por exemplo, 32 ano depois de formada a banda.

Em meados dos anos 90, a gravadora espanhola que assinavam foi comprada por uma americana, e foi aí que os acontecimentos conspiraram para o sucesso global. Os novos produtores viram o potencial da música “Macarena”, gravada dois anos antes, e resolveram regravar para o mercado americano. O clipe e a música atingiram os topos das paradas, e a dança teve em 96 um grande sucesso. A essa altura a dupla estava quase em seus 50 anos.

Apesar de continuarem em atividade, o grupo nunca mais teve outro sucesso, o que chamamos de one hit wonder. A Austrália e Espanha foram os países com maior receptividade para a carreira pós-sucesso dos espanhóis.

.

Gostou do post? Então ajude o blog a crescer divulgando!

Compartilhe esse post para seus amigos no FACEBOOK.

Curta a página do Me Dá Um Lá no FACEBOOK.

Onde encontrar músicas e clipes de qualidade

Dizem por aí que a MTV já não é a mesma. Dizem que não se vê tantas músicas novas e boas na televisão como antigamente. Nostalgia ou não, o fato é que a TV realmente está perdendo espaço para a internet. O Youtube, por exemplo, se tornou um dos meios mais usados para divulgação de música e, como diferencial, ainda possibilita um feedback melhor que os meios convencionais. Não é à toa que os vídeos mais vistos em 2012, quase em sua totalidade, foram musicais.

Mas como, nesse oceano de vídeos, achar clipes e gravações inéditas e de qualidade? Essa pergunta já é respondida há algum tempo por algumas empresas que se dedicam a postar na internet shows e acústicos de diversas bandas. Algumas delas já estão aí antes mesmo do surgimento do Youtube! Apresento, então, três canais do Youtube que têm essa proposta, que é  uma boa maneira de acabar conhecendo bandas novas. Precisamos de MTV, no fim das contas?

Showlivre

É um site especializado em música que a mais de uma década está na internet. Atualmente é parceiro do MSN, e além de blog tem um canal homônimo no Youtube que divulga com frequência apresentações de bandas, sejam elas conhecidas ou underground. Com mais de nove mil vídeos postados, o Showlivre é um dos canais mais versáteis e ecléticos, causa até susto ouvir uma banda de metal em um dia e MPB no outro. Artistas como A Banda Mais Bonita da Cidade (apresentando música novas) e Falamansa, entre muitas outras, fazem parte do repertório.

A Banda Mais Bonita da Cidade em Balada da Contramão, mostrando que é muito mais que Oração.

O Terno em Modão de Pinheiros, inspirado no rock sessentista.

Burberry Acoustic

O canal gringo é um dos meus favoritos. Aposta nas diversas bandas do crescente indie folk, mas por ser acústico não deixa de divulgar música que facilmente se passam por românticas, country ou de gêneros parecidos. Possui uma fotografia excelente, e a ambientação, assim com as músicas apresentadas, é impecável. Os artistas podem parecer hipster ou fashions demais, mas com uma razão: Burberry é na verdade uma marca de roupa de luxo. Eu, um ferrenho crítico do mercado de luxo ouvindo esse canal? Sim, e ainda assim gosto muito. Ótima estratégia de marketing. Bandas como Keane já se apresentaram, mas a graça mesmo está em ver artistas independentes e desconhecidos dando um show de qualidade.

Keane em Disconnected

Irmãos Flynn em Amazon Love

Música de Bolso

Apesar de ter entrado em um hiato de seis meses, é um dos canais com artistas mais conhecidos. Zélia Duncan, Mallu Magalhães, Móveis Coloniais de Acaju e Vanguart já deram suas colaborações. Assim como o Burberry Acoustic, a Música de Bolso investe em cenários e ambientações diferentes e belas, agregando ainda mais emoção e qualidade. Também possui site e blogs, e queira Deus que voltem a produzir vídeos.

Zélia Duncan em Dor Elegante

Mallu Magalhães em Make It Easy

Existem mais canais do mesmo gênero, talvez não exclusivamente de música, como a TV Folha e o Papo de Homem. O importante é valorizar as produções de conteúdo e, obviamente, conhecer e se entreter com o que a boa música propicia.

.

Gostou do post? Então ajude o blog a crescer divulgando!

Compartilhe esse post para seus amigos no FACEBOOK.

Curta a página do Me Dá Um Lá no FACEBOOK.